ESPIRITISMO E ARTE

“O Espiritismo irá depurar a arte que conhecemos e esta arte, depurada, será aquela inspirada nos ensinamentos da Doutrina Espírita”. (Espírito Rossini em Obras Póstumas)


Intercâmbio de Trabalhadores da Arte no Movimento Espírita com apoio da ABRARTE

Com o objetivo de promover a integração de grupos de arte e artistas espíritas, proporcionando espaço para a reflexão e troca de experiências, assim como o estudo, o aprimoramento e a dinamização do fazer artístico de caráter espírita, além de aspectos doutrinários da arte, à luz do Espiritismo, no Estado, a FERGS realizou neste sábado, dia 05 de março de 2016, o Intercâmbio de Trabalhadores da Arte no Movimento Espírita. Com o apoio da Associação Brasileira de Artistas Espíritas – Abrarte, o evento foi desenvolvido através de painéis, oficinas e centros de interesse, realizados durante dois turnos (manhã e tarde), intercalados por apresentações artísticas.

“Atingimos plenamente nossos objetivos”, garantiu ao final do evento a coordenadora da equipe da Assessoria de Arte da FERGS, responsável pelo evento, Márcia Albuquerque. “Inclusive em termos de participação de público, pois todas as inscrições foram esgotadas”, observou. O Intercâmbio reuniu artistas do Rio Grande do Sul que já realizem atividades continuadas no campo da arte, interessados em iniciar uma atividade artística na casa espírita e artistas convidados pela Abrarte, dos Estados de Santa Catarina e Paraná.

O evento contou na sua programação com cinco oficinas, desenvolvidas na manhã, abordando os seguintes temas: A Dança Espírita como Proposta de Espiritualização do Ser; Dramaturgia e Interpretação; Produção Musical na Divulgação Espírita; Formação, Gestão e Qualificação de um Grupo Musical; e a Importância da Comunicação Visual e suas Aplicações. Ainda na parte da manhã, logo após a abertura, o presidente da Abrarte – Associação Brasileira de Artistas Espíritas, Edmundo Cezar, apresentou o painel Artista: Missão e Responsabilidade. Entre outros temas, falou sobre a necessidade de preparação dos trabalhadores para atuarem nessa área, mas destacou a importância de assumir o compromisso. “Se o serviço apareceu, você está pronto”, observou.

Já a programação da tarde foi iniciada com a apresentação do espetáculo cênico-coreográfico-musical Senhor das Estrelas, pela equipe do Departamento Cultural do Centro Espírita Irmão Joaquim Cacique de Barros, de Bento Gonçalves. Em seguida tiveram início os trabalhos dos sete centros de interesses, que discutiram os seguintes assuntos: Palestra Artística com Ênfase na Música; Palestra Artística com Múltiplas Linguagens; Em Busca do seu Clow; Arte Espírita, Aspectos Doutrinários, Artísticos e Espirituais; As Possibilidades da Dança na Casa Espírita; Iniciando um Grupo Artístico na Casa Espírita; e Arte com Jesus.

O Intercâmbio de Trabalhadores da Arte no Movimento Espírita, contou no encerramento com uma apresentação da música Missão do Artista, pelo Grupo Razão Áurea, de Curitiba (RS). Também foi apresentado no telão um vídeo com a retrospectiva do evento, relembrando os principais momentos do dia.

IMG_5216

À noite, a partir das 20 horas, foi realizada uma mostra de arte aberta ao público, no auditório da FERGS, concluindo um dia repleto de manifestações artísticas. As apresentações da noite foram:

Artêmio Meirelles (Blumenau-SC) – Música

Emerson Borgo (Blumenau-SC) – Música

Núcleo Espírita de Artes – NEA (Florianópolis-SC) – Teatro de Clowns “A História de Mediunidade”

Razão Áurea (Curitiba-PR) – Música

Edmundo Cezar (Curitiba-PR) – Esquete teatral “Vozes do Além”

Arte & Luz (Santa Maria-RS) – Teatro, música e dança “O Belo servindo o Bem”

Fonte: http://www.fergs.org.br/portal/?p=9817

Anúncios


Artistas espíritas integram-se em Macapá

_OcOcNSDrjoHlqLZcd3XAQQQylGkNXlUfsUWTFFN2qM,-QxQiclGcEDZFs4Bo7NR3mwfoth2S8pr4gIMRp-wvP8

Aconteceu no último fim de semana, dias 5, 6 e 7 de setembro, em Macapá, a 1ª Mostra Abrarte Norte de Arte Espírita. Promovido pela Associação Brasileira de Artistas Espíritas, com o apoio da Federação Espírita do Amapá (FEAP) e da União Espírita Paraense (UEP), o evento foi fruto da parceria com várias entidades, como o Grupo Espírita Missionários da Luz e o Centro Espírita Frei Evangelista, de Macapá, e a Mocidade Espírita Legião do Bem (MELB), de Belém. Marcada por momentos de grandes emoções, fraternidade e arte de qualidade, a Mostra Norte, apesar do seu caráter regional, contou com 152 participantes, não apenas dos Estados do Amapá e Pará, como também do Rio Grande do Norte, Goiás, Espírito Santo e Paraná. A Abrarte esteve representada por seu presidente, Edmundo Cezar, pela 1ª secretária, Evelissa Melo, e pela integrante do Conselho Doutrinário Denize de Lucena, além de vários outros associados.

Árvore da vida

O encontro iniciou na manhã ensolarada do dia 5, na sede do Movimento Focolares, com o credenciamento e recepção dos artistas espíritas participantes, contemplados com um delicioso café da manhã, já que muitos chegaram durante a madrugada de sexta para sábado em função dos horários de voos e dos navios no trecho Belém-Macapá. Estavam presentes à abertura do evento a presidente da Federação Espírita do Amapá, Ana Coeli Dias Araújo, e o representante daDiretoria Executiva da União Espírita Paraense, Paulo Rabelo. Após o cerimonial, o associado Rudá Magalhães (AP) apresentou canções de sua autoria, acompanhado por sua família de artistas. As atividades da manhã se completaram com uma sensibilização preparada pela equipe local, intitulada árvore da vida, em que os participantes foram levados à reflexão sobre a necessidade do trabalho no bem, ao som da canção Abra a Arte, de autoria dos associados Paulo Rowlands (SP) e Maurício Keller (GO), em interpretação previamente gravada pelo associado Aldo Moletevicz (PR). A finalização deste momento deu-se em torno de uma árvore, presente no local, que foi recheada de borboletas em seus galhos, onde os participantes colheram esses frutos e fixaram a borboleta em suas camisas.

Durante o horário do almoço foram realizadas duas atividades opcionais: o canto do canto, onde os interessados compartilharam canções espíritas cantando e tocando cada um seu instrumento, e o momento poesia em ação, em que os participantes tiveram contato com poesias de diferentes temáticas experimentando a declamação e a composição.

A programação da tarde iniciou com apresentação do Grupo Amas (AP) que, com composições próprias mesclando teatro e música, emocionou a muitos com suas reflexões sobre a capacidade da arte em transformar nossos destinos. Seguiu-se a esta apresentação um instante de reflexão doutrinária realizada pela associada Denize de Lucena (PR), que abordou a temática Artista: Missionário Divino. Logo após, o Coral Canto e Luz (AP) realizou pequena intervenção com algumas de suas canções.

mostra_abrarte_norte_-_macapa_2015_57_20150914_1268565817

À noite, no Teatro das Bacabeiras, no centro da cidade, um público de 650 pessoas pôde contemplar a exposição de quadros da artista plástica Jô Benevides (PA) com obras preparadas especialmente para o evento, e ainda a banca de livros do projeto Arte Espírita: eu apoio, coordenado pela associada Ediane Sousa (ES), oferecendo ao público interno e externo uma variedade de CDs, DVDs e livros de artistas espíritas de diversas regiões do país. Pelo palco do tradicional teatro passaram o Grupo Musical Sol da Vida (PA), que apresentou músicas do seu CD recentemente gravado; a Cia. de Dança Isadora Duncan (AP), com trechos do espetáculo A porta falsa, baseado no livro Memórias de um suicida; o curta metragem Agora, já foi, produzido pela Federação Espírita do Amapá, com temática em defesa da vida; o projeto Lúcia Esperança, produzido pela Mocidade Espírita Legião do Bem (PA), com as coreografias Súplica a Jesus, Evangelho de Luz eAve Maria; e a Cia. de Dança Passos de Luz (AP), com as coreografias Apenas amar e Prece. Durante a noite também foi realizado o lançamento dos livros da Abrarte Dançando com a alma – Diálogos sobre a Dança Espírita, Arte na Casa Espírita – Planejamento e prática e Circulo de Estudos – Arte e Espiritismo.

Finda as apresentações, os participantes retornaram à sede do Focolares, onde foi realizado um instante de meditação em torno das palavras do evangelho.

Apresentações e debates 

No domingo, pela manhã, as atividades se realizaram na Universidade Federal do Amapá (Unifap), parceira do evento. Inicialmente, no anfiteatro da instituição, apresentaram-se o Grupo de Teatro Mensageiros (AP), com a peça Chapeuzinho e a Grande Lição, e o Grupo de Teatro Persona (RN), com a peça de teatro de bonecos Chiquinho e Lampião Chuva de Fluidos. Entre as duas apresentações, Edmundo Cezar fez breve explanação sobre o que é a Abrarte, seus objetivos e atividades, respondendo as perguntas da plenária.

mostra_abrarte_norte_-_macapa_2015_90_20150914_1620719389

Em seguida, os participantes dividiram-se por centros de interesses, onde puderam debater e colher material para aprimoramento do seu próprio fazer artístico espírita. Foram desenvolvidos os seguintes temas: o Audiovisual na Casa Espírita, ministrado por Lucas de Pádua (GO); A Dança como atividade de promoção e assistência social na casa espírita, por Marize Azeredo e Lucinha Azeredo (PA) e Liliane Ataíde (AP); Teatro, instrumento de progresso espiritual, por Edmundo Cezar (PR); e Referências espíritas para o uso da música, com Paulo Rabelo e Renata Almeida (PA).

O período da tarde iniciou com a realização de uma mesa redonda, em que cada painelista teve 15 minutos de exposição, seguido de espaço para a plateia formular perguntas e comentários. O debate teve a mediação de Lucas de Pádua (GO) e a participação de Jô Benevides (PA), que falou sobre o Projeto Inspirarte – ação que utiliza a artes visuais no processo de evangelização de jovens -; Lídia Carneiro (PA), que discorreu sobre o Projeto Educarte – projeto social que utiliza a música como ferramenta de abordagem e reflexão doutrinária; e Edmundo Cezar (PR), que apresentou a visão da Abrarte sobre a utilização da arte na evangelização. Paralelamente a esta atividade, os mais jovens participaram de uma abordagem lúdica doutrinária com Tomé Azevedo (AP). Em seguida, houve a participação do Grupo Zimba de Dança Afro (AP), parceiro na realização do evento.

À noite artística, no anfiteatro da Unifap, um público de 250 espectadores assistiu às seguintes apresentações: Coral Canto e Luz (AP), com canções de seu repertório, Projeto Lúcia Esperança (PA), com as coreografias: Jesus de Nazaré, Filho de Deus e Séquito da Caridade(texto de Leopoldo Machado), Cia. Espírita de Dança Passos de Luz (AP), com as coreografiasCândido Xavier e É Preciso Continuar, Grupo Musical Trio D’alma (PA), e os grupos musicaisArte e Som e Semeadores Galileus (PA), com repertório conjunto das duas bandas.

O último dia do encontro iniciou com palavras da presidente da FEAP, Ana Coeli, que agradeceu a Abrarte a confiança na equipe de organizadores da assessoria de artes da federativa, estabelecendo compromisso de que a Abrarte é bem vinda em solo macapense. A cantora Aline Vasconcelos, do Grupo Sol da Vida (PA) desenvolveu atividade de sensibilização intitulada A arte vive em mim, seguida de Renata Almeida (PA), que interpretou canções do projeto Em Frente, que engrandeceu a alma dos presentes. Como sensibilização final, a equipe local surpreendeu a todos com um cortejo ao som de canções no ritmo do marabaixo, preparando para os instantes finais do evento. Após esse clima de alegria, bem estar, fortalecimento de ideal e presença espiritual, a 1ª Mostra Abrarte Norte de Arte Espírita, em referência ao dia da Pátria, finalizou suas atividades com todos os participantes cantando o Hino Nacional Brasileiro.

mostra_abrarte_norte_-_macapa_2015_275_20150914_1263621157

O evento atingiu plenamente seus objetivos. Clima de fraternidade e sintonia com a espiritualidade se estabeleceu propiciando energias de fortalecimento da alma a quem teve o prazer do momento histórico de participar de um evento desta natureza artística na região amazônica.

Imprensa cobre o evento

A imprensa da capital amapaense fez intensa cobertura da 1ª Mostra Abrarte Norte de Arte Espírita. Durante o encontro, equipes das TVs Globo e Record locais colheram imagens e realizaram entrevistas com Edmundo Cezar (presidente da Abrarte), Denize de Lucena (conselho doutrinário), Maíra Magalhães (coordenadora da Mostra), Luiza Melo (Grupo Amas), além de representantes da cidade de Laranjal do Jarí do Amapá. Antes do evento, na sexta-feira, Edmundo participou de entrevistas em diversos programas de rádio e televisão: Rede Band, Rede Globo, Rede Record, Rádio 102 FM, Rádio Difusora AM, Rádio Diário do Amapá e Rádio Tucuju.

Fonte: http://www.abrarte.org.br

Mais fotos do evento


Dança Espírita na I Mostra Abrarte Norte em Macapá/AP

Aconteceu em Macapá, Amapá, de 5 a 7 de Setembro, a Mostra de Arte Espírita da região, que reuniu alguns dos grupos de dança do Norte como o Passos de Luz (Macapá- coordenação Perciliano Gomes) e MELB (Belém-coordenação Marize Azeredo). Eles juntos somaram 10 apresentações que foram divididas entre os dias 5 e 6 durante as noites artísticas (momentos abertos à sociedade).

No dia 5, no palco do Teatro das Bacabeiras, pode- se assistir as coreografias das músicas “Apenas Amar” e “Uma Prece” pelo grupo Passos de Luz; também “Súplica a Jesus”, “Evangelho de Luz” e “Ave Maria” pelo Grupo MELB.

No dia 6, no Anfiteatro da UNIFAP, pode- se assistir as coreografias “Jesus de Nazaré”, “Filho de Deus” e “Séquito de Caridade” pelo Grupo MELB; também da música “Cândido Chico” pelo Passos de Luz Adulto com o Infantil e um pou porri das músicas “Pra Melhorar” e “É Preciso Continuar” pelo Grupo Passos de Luz Infantil. Ainda no dia 6, houve dança em um dos Centros de Interesse. O tema foi “Dança como Atividade de Promoção e Assistência Social na Casa Espírita”. Conduzido pela coordenadora do Projeto Social de Dança Lucia Esperança-MELB (Belém/PA) e pela coreógrafa Lucinha Azeredo. 30 interessados teve esse estudo que finalizou com oficina de dança ainda da Lucinha.

A comitiva espírita dançante paraense somou 23 integrantes dentre bailarinos, acompanhantes e coordenação. Já os dançantes do grupo amapaense, somaram 18 integrantes somando bailarinos crianças, jovens e adultos, apoio e coordenação.

Foram momentos excelentes e de luz que a dança espírita do Norte viveu e proporcionou a este evento abrarteano.

Por: Perciliano Gomes (Coordenação da Mostra Nacional de Dança Espírita).


6º EMUSE de Torres: Unindo através da Arte!

11692720_480632685444523_3844177652391276590_n

O último domingo, dia 12 de julho, foi marcado por muita arte do bem no 6º Encontro de Música Espírita – EMUSE que ocorreu na Casa de Cultura Municipal da cidade de Torres-RS.

Pela manhã ocorreram apresentações artísticas das casas espíritas de Capão da Canoas, Osório, Santo Antônio da Patrulha e Porto Alegre, seguidas de um bate-papo com Dani Angelo Medina e Eduardo Veit, integrantes do grupo Evangelizar é Amar. Foram momentos descontraídos de uma conversa edificante e motivadora com os dois músicos que contaram um pouco da história e da ideologia do seu grupo musical.

Na parte da tarde, as apresentações do grupos musicais Pétala, Sol, +Amor, Música com Jesus, Dom, Nós e 1001, proporcionaram através da arte com temática espírita, momentos de reflexões, harmonia e alegria, fortalecendo os laços de amizade entre todos e unindo cada vez mais os artistas espíritas que de lá saíram felizes e com a certeza de que arte e espiritismo, estes dois elos de evolução, precisam andar cada vez mais de braços dados.


Assessoria de Arte FERGS no XII Fórum Nacional de Arte Espírita

E as estrelas retornaram…

A dinâmica de encerramento do 12º Fórum Nacional de Arte Espírita, no último sábado, realizada em ambiente externo, na quadra esportiva do Colégio Estadual do Atheneu Norte Rio-grandense, em Natal, remeteu-nos à memorável noite de 8 de junho de 2007, quando, no terraço da Federação Espírita do Estado da Bahia, os participantes daquele Fórum em que se fundou a Abrarte presenciaram, no céu estrelado de Salvador, a passagem instantânea e irradiante de uma estrela cadente, a riscar de luz a abóboda celeste.

Eis que agora, oito anos depois, novamente sob o teto infinito do espaço universal, os participantes puderam contemplar, mais um capricho da natureza: o dissipar das nuvens que haviam trazido a chuva refrescante do período vespertino, para o aparecimento das estrelas, que cintilaram brilhantes, quais dezenas de olhos espirituais a testemunhar, cá embaixo, sentimentos de profunda fraternidade, alegria e encantamento.

As vibrações reinantes entre os participantes do Fórum, neste momento, intensificadas pelo poder de intensa vibração das vozes do Coral Paco Horo, fizeram ressoar em nossas almas a certeza do amparo Divino e do Cristo, além da presença de uma plêiade de Espíritos superiores como se estivessem revigorando, uma vez mais, a parceria de trabalho com os encarnados, incentivando-os ao labor da grande renovação planetária.

Obrigado Natal, cidade que evoca, em seu próprio nome, o divino instante do nascimento do Nazareno! Obrigado por essa extraordinária oportunidade de espiritualidade! Nosso agradecimento a todos os trabalhadores da comissão organizadora local que tão calorosamente receberam a todos os artistas espíritas brasileiros. Que as sublimes inspirações deste Fórum e, em especial, de mais esta noite que ficará registrada na memória daqueles que tiveram a oportunidade de vivenciá-la, permaneçam não apenas conosco, mas possam inspirar a tantos outros trabalhadores da arte espírita espalhados por todo nosso querido Brasil.

Natal reúne artistas espíritas de todo o país

A capital do Rio Grande do Norte, Natal, recebeu nesse feriado de Corpus Christi, cerca de 140 artistas espíritas de 17 unidades da Federação, por ocasião do 12º Fórum Nacional de Arte Espírita, promovido pela Abrarte. Trabalhadores espíritas ligados a dança, música, literatura, teatro, audiovisual, evangelização, entre outros, provenientes do Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Piauí, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pará e Amapá, encontraram-se no Colégio Estadual do Atheneu Norte Rio-grandense, numa jornada de integração, vivências, debates, oficinas, palestras e apresentações artísticas. “Foram dias de muito trabalho no bem, dias de muita luz e aprendizado”, afirmou o associado Marcelo de Aquino, membro do conselho doutrinário da Abrarte e da comissão organizadora local do evento.

foto oficial

A Região Sul estava representada através dos artistas que vieram do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

P1610007

A primeira atividade do Fórum foi uma dinâmica de integração, através de uma divertida dança de quadrilha, na tarde de quinta-feira (4 de junho). À noite, todos os participantes foram levados até o Teatro Alberto Maranhão, no bairro da Ribeira, para assistirem à abertura oficial do evento, em solenidade que contou com a presença do presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Norte (FERN), Eden Lemos.  Nessa oportunidade, Cláudio Marins fez o lançamento do livro Círculo de Estudos – Arte e Espiritismo, de Edmundo Cézar, selecionado pelo convite público lançado pela Abrarte no Fórum de Franca, no ano passado. O público presente também pôde assistir, nesta noite, às apresentações dos grupos Canto de Paz (RN), Passos de Luz e Vitta (AP), e do Grupo Persona de Teatro Espírita(RN).

Palestra, centros de interesse e grupos de trabalho

Na sexta-feira (5), pela manhã, a programação do Fórum começou com palestra de Sandra Borba (RN), que falou sobre o tema geral do evento: Jesus, médium das belezas eternas. Sandra destacou os elementos que fundamentam as belezas eternas, quais sejam, a existência do Criador e a imortalidade da alma. Segundo a palestrante, o artista espírita deve considerar-se como um carteiro, o portador da mensagem da boa nova que deve ser entregue ao grande público. “A estrela deve ser a mensagem; o artista é somente o veículo”, ressaltou.

  20150605_090610

Em seguida, os participantes se dividiram em quatro salas de centros de interesse, cada uma das quais abrigando dois painéis sobre experiências específicas desenvolvidas no campo da arte espírita. As exposições foram seguidas de debates. Na primeira sala, Daniela Tonidandel (MG) compartilhou a experiência da Cia. Laboro no Processo coletivo de construção; e Maíra Magalhães (AP) discorreu sobre as ações que fizeram eclodir o Movimento de Arte Espírita no Estado do Amapá. Na segunda sala, Gláucio Cardoso (RJ) trouxe reflexões sobreVerdades em diálogo: a Relação entre poesia e Espiritismo, enquanto Paulo Cézar Silva (MG) abordou sobre Dança e Arte Espírita – Múltiplas possibilidades. Na terceira sala, Rosália Castro (DF) apresentou o trabalho desenvolvido no Distrito Federal com o projeto Estudando a arte através da Doutrina Espírita; e Fátima Ricardi (SP) contou sobre a experiência em eventos do Grupo Paluarte, com o tradicional Mês de Teatro Espírita de Indaiatuba. Por fim, na quarta sala, Aristides Barros (CE) mostrou O trabalho popular de mamulengos como ferramenta de divulgação da Doutrina Espírita e Edna Daniela (SP) apresentou a associação entre Arte e Espiritismo: o exemplo do Instituto Arte e Vida.

À tarde, nova divisão dos forenses, dessa vez em quatro grupos de trabalho que discutiram os seguintes projetos da Abrarte: propostas de reforma do Estatuto, com Rogério Silva (SC) e Fábio Fidelis (RN); Núcleos Abrarte regionais, com Cláudio Marins (MG); 2º Encontro Nacional de Arte Espírita, com Edmundo Cezar (PR); e dinamização da produção e distribuição de produtos da Abrarte, com Gláucio Cardoso (RJ) e Rick Debiazze (ES).

oficinaaaaa

Após banho e jantar, a programação prosseguiu novamente no Teatro Alberto Maranhão, desta vez com apresentação da Banda RN, do grupo Sintonia (PI), com o show Ao que lhe dará, e da Cia. Laboro (MG) com o espetáculo Brasil, coração do mundo. Nesta mesma noite, aconteceu homenagem especial, com entrega de placa de Moção, ao Instituto Arte e Vida, de Franca (SP).

Assembleia, oficinas e movimento federativo

O sábado pela manhã reservou várias atividades simultâneas. Enquanto os associados da Abrarte reuniram-se na assembleia geral, oportunidade em que elegeram a nova diretoria e conselhos doutrinário e fiscal, os não associados tiveram à disposição três oficinas voltadas à capacitação e à aplicação da arte na casa espírita.

Depois do almoço, um debate, com a presença do presidente da FERN, Eden Lopes, do presidente da Abrarte, Cláudio Marins, e de representantes de entidades federativas estaduais – Márcia Albuquerque (RS); Maíra Magalhães (AP); João Mendonça (DF); Lirálcio Ricci (SP); e Émerson Borgo e Rogério Silva (SC) – discutiu a Arte no movimento federativo: diversidade na unidade. A programação continuou com palestra de Edmundo Cezar (PR), utilizando-se do conteúdo do livro Círculo de Estudos – Arte e Espiritismo, de sua autoria, lançado na noite anterior, seguido de atividade de sensibilização com performances artísticas de Perciliano Gomes (AP) e Gláucio Cardoso (RJ).

O Fórum encerrou no sábado à noite, com as apresentações do show Vitrine Paraense, reunindo diversos artistas espíritas do Estado do Pará, do grupo Voz e Caridade (PE), e uma espontânea e emocionante homenagem de todos os forenses a Cláudio Marins, atual presidente da Abrarte, pelo importante trabalho realizado à frente da instituição por dois mandatos consecutivos.

11391524_864681596947579_7924843978029432842_n

O cerimonial contemplou também dois momentos formais de transmissão de responsabilidades: a atual diretoria deu posse à nova equipe de trabalho, e a cidade de Natal passou o estandarte para São Paulo, sede do Fórum de 2016. O Coral Paco Horo entrou em seguida, executando excelente repertório acústico e envolvendo todos os participantes do encontro em atividade vivencial, inspirada no Evangelho, marcando, assim, o encerramento efetivo do 12º Fórum Nacional de Arte Espírita.

Atividades paralelas

A exemplo do que ocorreu nos dois últimos fóruns (Florianópolis e Franca), a edição deste ano do evento também teve atividades paralelas à programação geral. Os não associados, que não participaram da assembleia geral, puderam escolher uma entre as três oficinas oferecidas: Arte e juventude, ministrada por Élidon Oliveira e a juventude Hauare;Dança Espírita, por Lídia Borba; e Teatro Espírita, por Gisele Carvalho; o Forunzinho reuniu crianças filhas de participantes e trabalhadores da comissão organizadora; a equipe de atendimento médico-espiritual ficou de plantão durante todo o evento; e após o encerramento do Fórum, no domingo pela manhã, para os participantes que ainda permaneceram na cidade, a comissão organizadora local proporcionou um roteiro cultural-doutrinário pela cidade de Natal, visitando locais relacionados ao Espiritismo. Foi feito o trajeto da Caravana da Fraternidade até Macaíba, onde se visitou a Escola Auta de Sousa, a igreja onde estão seus despojos e o Centro Espírita Caminho da Redenção, e ainda o Engenho Ferreiro Torto, local conhecido pela ocorrência de vários fenômenos de manifestações mediúnicas.

ASSEMBLEIA GERAL

Eleita a nova administração da Abrarte

Durante a assembleia geral de associados realizada no último sábado, dia 6 de junho, dentro da programação do Fórum, foram eleitos a nova Diretoria e os novos membros dos Conselhos Doutrinário e Fiscal da Abrarte.

Com relação à Diretoria, que teve a inscrição de apenas uma chapa, foram eleitos os seguintes associados:

Presidente: Edmundo Cézar Barbosa Santos (Curitiba/PR);

Vice-presidente: Rick’Ardo Debiazze Nunes Vieira (Vitória/ES);

1ª Secretária: Evelissa Mendes de Melo (Natal/RN);

2º Secretário: Humberto Borges da Costa (Vitória/ES);

1º Tesoureiro: Júlio Cesar dos Santos Nunes (São Paulo/SP);

2ª Tesoureira: Edna Daniela de Paula (Franca/SP).

Já o Conselho Doutrinário é composto agora por:

Rogério Felisbino da Silva (Florianópolis/SC), Gláucio Varella Cardoso (Mesquita/RJ), João Batista de Mendonça (Brasília/DF), Denize Moura Dias de Lucena (Curitiba/PR) e Maíra Uchôa Magalhães (Macapá/AP), tendo como suplentesCláudio Roberto Marquetto Maurício (Foz do Iguaçu/PR) e Guana Veras Quelemes (PI).

Por fim, o Conselho Fiscal ficou com a seguinte composição:

Bianca Zucchi Hermes (Florianópolis/SC); Francisco Pereira Leite Neto (Aracaju/SE) e Fátima do Carmo Fonseca Ricardi (Indaiatuba/SP), além dos suplentes Wender Veloso da Silva (Goiânia) e Valdemagno Silva Torres (Recife/PE).

APRESENTAÇÕES

Emoção, diversão e reflexão

12º Fórum Nacional de Arte Espírita foi marcado por belíssimas manifestações artísticas, que encantaram os participantes e o público externo. Na abertura oficial do evento, quinta-feira à noite, antes mesmo das apresentações no palco do belo Teatro Maranhão, Aristides Barros (CE) divertiu os expectadores que aguardavam no saguão da casa de espetáculos, com sua arte de teatro de bonecos. Depois, já no auditório, o grupo Canto de Paz (RN), fez show lítero-musical em homenagem à grande poetisa potiguar Auta de Souza, numa bela conjugação entre música e poesia. Os grupos Passos de Luz e Vitta (AP) também surpreenderam o público com o belíssimo espetáculo “Caminhando com Jesus”, em performances que reuniram teatro, dança e música; e o Grupo Persona (RN), trouxe profundas reflexões sobre a conduta do trabalhador da arte espírita com a peça Vida de Artista.

Na sexta-feira à noite, a Banda RN, formada por músicos de vários grupos potiguares, executou a música Abra a Arte, em arranjo nordestino. Esta música, de autoria dos associados Maurício Keller e Paulo Rowlands, foi composta durante o Fórum de fundação da Abrarte, em Salvador, em 2007, e, por isso mesmo, é considerada o hino da Associação. O grupo Sintonia contagiou o público com o show Ao que lhe dará, com temática evangélica e forte presença de elementos regionais. E a Cia. Laboro (MG) trouxe sua característica marcante de fazer de seus espetáculos uma riquíssima experiência lírica, lúdica e envolvente, desta vez com o espetáculo Brasil, coração do mundo.

No sábado à noite, Gabriel Diogo (MS), ao violino, juntou-se a diversos artistas espíritas do Estado do Pará na apresentação do show Vitrine Paraense; o grupo Voz e Caridade (PE) trouxe várias canções de seu repertório profundamente cristão; e o Coral Paco Horo (RN) envolveu a todos numa sonoridade profunda e tocante.

E durante todo o Fórum, em meio à programação, Grupo ArtPaz (RN), Cris Andrade (RJ), Aldo Motelevics (PR) e Márcia Albuquerque (RS) fizeram pequenas mostras de seus trabalhos, intercalando-se entre os momentos de estudo e debate com instantes de leveza, encantamento, vibração e energia.

RECONHECIMENTO

Instituto Arte e Vida é homenageado

O Instituto Arte e Vida, da cidade de Franca, recebeu, no dia 5 de junho, dentro da programação do 12º Fórum Nacional de Arte Espírita, em Natal, uma Moção de Reconhecimento da Abrarte pelo relevantes serviços prestados à arte espírita, em seus 30 anos de atuação. A instituição iniciou seus trabalhos em 1985, com o objetivo  de montar espetáculos teatrais com temática espírita para serem apresentados em eventos do movimento espírita e federativo na região de Franca. Sua institucionalização ocorreu em 2001. A partir de 1990, começou a organizar o Festival da Canção e Encontro de Arte Espírita de Franca (FECEF). Desde então, já realizou 14 edições do evento que reúne compositores, músicos e artistas espíritas de todo o país, tornando-se uma referência no movimento artístico espírita nacional. A partir de 1996 começou a trabalhar com crianças e adolescentes, oferecendo oficinas das mais variadas modalidades artísticas. Atualmente, o trabalho abrange aproximadamente 180 crianças e jovens e é aberto a toda comunidade francana. Pelos trabalhos culturais e sociais desenvolvidos, recebeu o reconhecimento de utilidade pública municipal e federal. Atualmente o Instituto possui um quadro de 45 trabalhadores voluntários, divididos em quatro núcleos:  Arte e Cultura, responsável pelas montagens teatrais; Arte e Educação, responsável pelos projetos educacionais; Eventos, responsável pela produção do FECEF, e o Núcleo de Estudos da Doutrina Espírita.

11401493_864677766947962_228146361479030537_n

FÓRUNS DE 2016 E 2017

São Paulo sediará o evento no ano que vem e Goiânia em 2017

Conforme já anunciado ano passado, em Franca, a cidade de São Paulo será a sede do 13º Fórum Nacional de Arte Espírita, que acontece juntamente com o 2º Encontro Nacional de Arte Espírita e a 4ª Mostra Nacional de Dança Espírita. Esses eventos se realizarão entre os dias 26 e 29 de maio de 2016. A comissão organizadora local, representada pelos associados Lirálcio Alves Ricci e Daniela Conceição da Rocha Figueira, recebeu simbolicamente dos representantes de Natal, através de um estandarte, a responsabilidade da organização do evento.

Já o Fórum de 2017 será realizado em Goiânia. O anúncio foi feito pelo vice-presidente da Abrarte, Rogério Silva, durante a solenidade de encerramento do 12º Fórum, em Natal. Representantes da capital goiana, liderados pelos associados Wender Veloso da Silva e Sterleide Cassimiro de Carvalho, apoiados por associados de Brasília, agradeceram a escolha e já anteciparam as boas-vindas ao evento que assinalará o décimo aniversário de fundação da Abrarte.

CÍRCULO DE ESTUDOS – ARTE E ESPIRITISMO

Lançado novo livro da Abrarte

Durante do 12º Fórum Nacional de Arte Espírita ocorreu o lançamento do novo livro da Abrarte, intitulado Círculo de Estudos – Arte e Espiritismo. A obra, escrita por Edmundo Cezar Barboza Santos e selecionada através do convite público, lançado pela Abrarte, no Fórum de Franca, no ano passado, é a materialização dos conteúdos abordados durante o evento homônimo, promovido pela Federação Espírita do Paraná, desenvolvido pelo autor, com a contribuição da maestrina Doriane Rossi, coordenadora de artes da FEP, e que teve o objetivo de promover reflexões sobre o fazer artístico e sua relação com o Espiritismo, especialmente nas ações artísticas realizadas no ambiente doutrinário do centro espírita. Ao material apresentado no referido curso foram acrescentadas observações em atividades similares desenvolvidas em outras cidades e oportunidades. Páginas curtas e simples para serem estudadas individualmente ou em grupo, com registros da temática da arte nas obras básicas de Allan Kardec, da coleção André Luiz e em obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier, José Raul Teixeira, Divaldo Pereira Franco, entre outros. Esta é a terceira obra lançada pela Abrarte. A primeira foi o livro Dançando com a alma, lançada em novembro de 2012; e a segunda foi o livro Arte no Centro Espírita – Planejamento e Prática, lançada em junho de 2014. Associados adimplentes que estavam em Natal, durante o lançamento, receberam de brinde um exemplar do livro. Os demais associados adimplentes não presentes ao Fórum receberão o seu exemplar pelo correio. A arte da capa do livro foi de autoria da assessora de arte da FERGS, Márcia Albuquerque.

Fonte: Notícias da Abrarte nº 490 – 12/06/2015


Tarde de Arte na Sociedade Espírita Dom Thomé

A Assessoria de Arte na Difusão Espírita da FERGS participou da Tarde Cultural “A espiritualização por meio da Arte” na Sociedade Espírita Dom Thomé em Porto Alegre, neste último domingo. A tarde de arte contou com uma breve apresentação sobre Espiritismo e Arte pelaa assessora Márcia Albuquerque e posteriormente com apresentações artísticas do Grupo de Teatro LUMI com a esquete Em cada Amanhecer, do grupo de música Ave Cristo e de Karina Pinheiro Liz e convidados. Fernanda Kavaliunas trouxe o tema “A espiritualização por meio da Arte” e após houve um momento aberto para perguntas e reflexões a cerca do tema Arte e Espiritismo. Foi uma tarde abençoada onde todos fomos envolvidos por uma atmosfera de paz, união e amor fraterno, com muita arte do bem, estudos e confraternização.


Arte no I ENAE

Durante os dias 24,25 e 26 de abril de 2015, no Hotel Ritter em Porto Alegre ocorreu o I ENAE – Encontro Nacional do Atendimento Espiritual do Centro Espírita. O Encontro contou com a participação de 26 federativas estaduais e com a presença de Jorge Godinho, presidente da FEB, Roberto Versiani secretário geral do CFN, Helio Blume coordenador da Área do Atendimento Espiritual, Maria Elisabeth Barbieri presidente da FERGS.

Jonas Demeneghi, músico e trabalhador espírita de Santo Ângelo, nos encantou com suas belas composições de seu CD “Na Busca da Essência”, na abertura do evento. A apresentação também contou com a participação de Liamara Nascimento em duas músicas.

No encerramento o momento artístico foi realizado pelo Grupo de Teatro Lumi com a esquete teatral “Em cada amanhecer” que fez referência à Parábola do Filho Pródigo.